núcleo de estudos em estéticas do performático e experiência comunicacional

“Ejercicios de crítica queer: como ‘funciona’ la sexualidade?” e “Elementos de teoría queer” de Lorenzo Bernini

“Somos contemporâneos de nossa escravidão” de Tales Ab’Sáber, “Eu, um crioulo” de José Fernando Peixoto de Azevedo e “O fardo da raça” de Achille Mbembe

“Erotismo e risco na política” de Tatiana Roque e “Estamos em guerra” de Peter Pál Pelbart

defesa de dissertação

 

"Desvestir-se em cena: investigações sobre figurino, nudez e representações do feminino em realizações cênicas"

Candidata: Caroline Manso

Orientador: Prof. Dr. Carlos Magno Camargos Mendonça

Banca: Profa. Dra. Denise Pedron (UFMG)

Profa. Dra. Joana Ziller (UFMG)

Prof. Juarez Guimarães Dias (UFMG)

 

31.03.2020, 13h

Videoconferência (Skype)

2020/1 

13/03: Abertura do Semestre


20/03: “Das interfaces: performance-criação de um topos de experimentação” Renato Cohen


27/03: “Sujeito do sexo/ gênero/ desejo” Judith Butler 


03/04: “Sujeito do sexo/ gênero/ desejo” Judith Butler 


17/04: “Atos corporais subversivos” Judith Butler


23 e 24/04: Seminário da Linha de Textualidades Midiáticas


08/05: “Atos corporais subversivos” Judith Butler 


15/05: “O interdito e a transgressão” Georges Bataille (p. 19-96)


22/05: “O interdito e a transgressão” Georges Bataille (p. 19-96)


29/05: “Translado: Narrativas Trans da Av. Pedro II”  Tomás German (et al) (Orgs)


05/06: “Manifesto Traveco-terrorista” Tertuliana Lustosa


19/06: “Rituais brutais nas mortes de travestis e transexuais: o que a abjeção da população T denuncia?” Diego da Silva Santos (et al)


26/06: Seminário Neepec “Pesquisas em processo”

NOSSOS CURSOS
2019/2

CE

Comunicação e Expressão: a performance da presença

MGS

Mídia,
Gênero e
Sexualidade

LAB

Laboratório Transversal B em  Culturas em Movimento e Processos criativos

CORPOS FEITOS IMAGENS: NARRATIVAS DE SI COMO ATO DE RESISTÊNCIA
[2015- ATUAL]


O projeto tem como objetivo principal analisar imagens fotográficas de sujeitos em situação liminar, por sua orientação sexual ou por transitarem entre gêneros, buscando investigar em que medida estas narrativas visuais podem funcionar como desarme de algumas formas discursivas próprias aos crimes de ódio.

A VIDA É UM DRAMA
[2014 – 2017]


Compreendendo a performance como processo e produto, como mantenedora da tradição e ao mesmo tempo como transformadora das culturas, esta pesquisa investiga a formação de assuntos públicos em torno da defesa e do ataque aos direitos da pessoa homossexual. Inspirados na metáfora estética do Drama social, buscamos perceber como sujeitos em condições liminares emergem na cena pública através de fenômenos comunicacionais constituídos no encontro entre realidade social e realidade estética. 
 

© 2021 NEEPEC/ UFMG